Caxinguelê é o grande destaque do VII FestCine Barra do Piraí em 2016. O curta do Colégio Construir/Lápis de Cor levou pra casa os prêmios de Melhor Roteiro, Melhor Direção e Melhor Áudio.

 

Sucesso! Essa é a palavra que melhor define o VII Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí.

 

Realizado entre os dias 15 e 21 de maio em uma estrutura montada na Praça Nilo Peçanha, no Centro da cidade, o FestCine atraiu cerca de três mil e quinhentas pessoas durante os 7 dias do evento.

 

Na noite da Cerimônia e Premiação e Encerramento, 21, o curta “Caxinguelê” foi o grande destaque. O filme produzido pelos alunos do Colégio Construir/Lápis de Cor foi premiado com o Troféu Dom Quixote nas categorias Melhor Áudio, Melhor Roteiro e Melhor Direção, além de receber Menção Honrosa pela fotografia.

“Nós ficamos muito felizes com a integração e o reconhecimento dos alunos no Festival. Esse tipo de projeto incentiva os estudantes”, ressalta a diretora da escola, Maria Margareth da Silva Souza. “Alguns alunos que antes não se mostravam motivados com os estudos, começaram a participar mais. O reflexo dessa valorização da cultura dentro de sala de aula é incrível. E a gente só tem a agradecer pela oportunidade dos nossos alunos participarem.”

 

As exibições reuniram diariamente, entre estudantes e público em geral, cerca de quinhentas pessoas que assistiram aos curtas-metragens das vinte escolas da Mostra Competitiva Local, das 10 escolas do Brasil selecionadas para a Mostra Competitiva Nacional, além dos filmes de instituições do Irã, Argentina e Rússia que se apresentaram na Mostra Internacional.

Na Mostra Competitiva Nacional, o curta “Ai, cadê meu cartão?” da Escola Municipal Narcisa Amália, da cidade do Rio de Janeiro, recebeu o Troféu Dom Quixote na categoria Melhor Filme Nacional e o prêmio de R$ 2 mil.

A grande surpresa da noite foi o “O homem que virou filme”, do Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes, que levou o Troféu Dom Quixote na categoria Melhor Filme Júri Técnico, apesar de não ter vencido outras categorias.

 

“A gente estava torcendo, mas foi uma surpresa muito grande. Quando a gente começou a fazer o filme, o professor teve que explicar pra gente o que era um documentário. O trabalho foi muito difícil, tivemos que remarcar as gravações diversas vezes, mas esse prêmio mostra que valeu muito a pena”, afirma a estudante Paloma Gonçalves Coelho, emocionada.

 

“Eu fico muito feliz de ver esse tipo de inciativa entre estudantes tão jovens. Eu sou apaixonado por cinema, trabalho com isso há muito tempo, mas só tive a oportunidade de ter esse tipo de contato quando entrei na faculdade de Cinema”, conta o jurado Hsu, que recentemente dirigiu episódios das séries Pé na Cova e Sexo e as Negas, da rede Globo. “Esse tipo de trabalho tem o potencial de mudar a realidade desses alunos e eu me sinto honrado de poder julgar o trabalho deles.”

 

“Barra do Piraí chama a atenção por ter, além de uma boa localização entre o eixo Rio - São Paulo, os cenários perfeitos para diversos tipos de locações. Aqui nós temos casarões históricos do século XIX, fazendas ao ar livre que permitem gravações sem a necessidade dos produtores recorrerem a estúdios. E isso gera economia pra eles”, explica o diretor do Polo Audiovisual, Roberto Monzo. “A gente quer trabalhar com uma indústria criativa, que movimente a economia da cidade e transforme Barra do Piraí na cidade do Audiovisual. Nós já temos tudo encaminhado para construir uma Escola Livre de Cinema na cidade e isso faz parte de um trabalho que a gente realiza aqui, hoje, pensando no futuro.”

 

Resultado Oficial da Premiação do VII FestCine 2016

 

Melhor Áudio

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Caxinguelê (Colégio Construir/Lapis de Cor)

  • 2º lugar: O depois é agora (Ciep 310 Prof. Alice Aiex)

  • 3º lugar: O homem que virou filme (Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes)

Indicados: Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira) e O Aluno do ano (Colégio Estadual Adelino Terra) 

 

 

Melhor Arte

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Nos bastidores do amor (Colégio Estadual Dr. Alvaro Rocha)

  • 2º lugar: O homem que virou filme (Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes)

  • 3º lugar: O depois é agora (Ciep 310 Prof. Alice Aiex)

Indicados: Caxinguelê (Colégio Construir/Lápis de Cor) e Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira) 

 

 

Melhor Roteiro

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Caxinguelê (Colégio Construir/Lapis de Cor)

  • 2º lugar: Nos bastidores do amor (Colégio Estadual Dr. Alvaro Rocha)

  • 3º lugar: O homem que virou filme (Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes)

Indicados: Amor e Fúria (Colégio Estadual Nilo Peçanha) e Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira) 

 

 

Melhor Direção

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Caxinguelê (Colégio Construir/Lapis de Cor)

  • 2º lugar: Nos bastidores do amor (Colégio Estadual Dr. Alvaro Rocha)

  • 3º lugar: O homem que virou filme (Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes)

Indicados: Do jeito que eu sempre vi (APAE) e Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira) 

 

Melhor Ator

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Lucio Teixeira, pelo filme Do jeito que eu sempre vi (APAE)

  • 2º lugar: Thauan dos Santos, pelo filme Amor e fúria (Colégio Estadual Nilo Peçanha)

  • 3º lugar: Weverton de Leon, pelo filme Iguais (Pestalozzi)

Indicados: Evandro Augusto da Silva Felipe, pelo filme Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira) e Thauan Alves Pereira, pelo filme Nos bastidores do amor (Colégio Estadual Dr. Alvaro Rocha) 

 

Melhor Atriz

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Evelyn Mayrink, pelo filme Amor e fúria (Colégio Estadual Nilo Peçanha)

  • 2º lugar: Alessandra Amaral Soares, pelo filme O aluno do ano (Colégio Estadual Adelino Terra)

  • 3º lugar: Michelly da Silva Barbosa, pelo filme A lição do brincar (Ciep 428 Municipal Mariana Coelho)

Indicadas: Elsa Maia Arêdes, pelo filme Eu vi seu nome escrito (Escola Municipal Marieta Vasconcelos) e Lurdinha Nogueira, pelo filme Caxinguelê (Colégio Construir/Lápis de Cor) 

 

 

Melhor Filme Júri Popular

 

  • 1º lugar, Troféu Dom Quixote: Amor e fúria (Colégio Estadual Nilo Peçanha)

  • 2º lugar: Guerreiros (Colégio Estadual Prof. Maia Vinagre)

  • 3º lugar: Do jeito que eu sempre vi (APAE)

 

Melhor Filme

 

  • 1º lugar, Prêmio Dom Quixote: O homem que virou filme (Colégio Estadual Senador Paulo Fernandes)

  • 2º lugar: Caxinguelê (Colégio Construir/Lápis de Cor)

  • 3º lugar: Nos bastidores do amor (Colégio Estadual Dr. Álvaro Rocha)

Indicados: Amor e fúria (Colégio Estadual Nilo Peçanha) e Luz no túnel (Escola Municipal Cortines Cerqueira)

 

Menção Honrosa

 

  • Caxinguelê (Colégio Construir/Lápis de Cor) - pela fotografia

 

 

Melhor Filme Nacional

 

  • Ai, Cadê Meu Cartão? (E. M. Narcisa Amália – Rio de Janeiro/RJ)

 

 

 

 

Festival Internacional Estudantil de Cinema Barra do Piraí

Copyright

2021

  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle